Frase do Dia

"O silêncio também fala, fala e muito! O silêncio pode falar mesmo quando as palavras falham." Osho


"O silêncio é tão rico de palavras que ensinam os teus ouvidos a ouvirem teus segredos." William Senna

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O Ser Surdo

O que significa "Ser Surdo"?

Esse é um termo amplamente profundo e não significa apenas que uma pessoa não ouve ou não possui audição.
Segundo pesquisas do americano James Woodward em 1972, que criou as designações de “Surdo” e “surdo”, o termo com letra maiúscula é usado para aqueles que se identificam com a identidade e cultura surdas, enquanto que o mesmo termo em letra minúscula é aplicado àqueles que têm apenas problemas de audição.

Emmanuelle Laborit (2000) em seu livro: “Vôo da Gaivota” afirma:
“Sou surda não quer dizer: “Não ouço.” Quer dizer: “Compreendi que sou surda.” É uma frase positiva e determinante. Na minha mente, admito que sou surda, compreendo-o, analiso-o, porque me deram uma língua que me permite fazê-lo. Compreendo que os meus pais têm a sua própria língua, a sua maneira de comunicar e que eu tenho a minha. Pertenço a uma comunidade, tenho uma verdadeira identidade.”             
                                                                              
Ser Surdo é quem se considera membro de uma comunidade linguística e cultural diferente. O grau de surdez não importa, o mais importante para se poder pertencer à comunidade surda é o uso da língua gestual como primeira língua (L1) ou língua natural. É esta língua que permite aos surdos afirmar a sua diferença e sua identidade.
Segundo PERLIN (1998), ser surdo é pertencer a um mundo de experiência visual e não auditiva.
Viver uma experiência visual é ter a Língua de Sinais, a língua visual, pertencente a outra cultura, a cultura visual e lingüística.
A língua gestual é a minha verdadeira cultura. O gesto, esta dança de palavras no espaço, é a minha sensibilidade, a minha poesia, o meu íntimo, o meu verdadeiro estilo. Pois afirmo com absoluta certeza que a língua gestual é a primeira língua, a nossa, a que nos permite ser seres humanos “comunicantes."   LABORIT( 2000).    
Posso afirmar com orgulho, que amo ser Surda, possuo minha identidade, cultura e língua visual. Posso ver, vivenciar e aprender o mundo com meus olhos, que são meus ouvidos!

3 comentários:

  1. Querida Betty,
    parabens pela iniciativa deste blog! Importantissimo divulgar para ouvintes!
    beijos
    Luciane Rangel

    ResponderExcluir
  2. Olá!!!
    Queria muuuuuuito ler esse livro, mas, não o encontro para comprar, nem impresso, nem em e-book. Você sabe onde posso encontrá-lo????

    Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Olá Sherazade,
    Esse livro realmente não tem mais para venda, mas você pode conseguir em PDF, tente esse blog:
    http://oficinadelibras.blogspot.com.br/2012/09/o-grito-da-gaivota-emmanuelle-laboritn.html
    Espero ter ajudado.
    Abraços
    Betty

    ResponderExcluir